Avanços no uso da blockchain

Plataforma de registro da moeda virtual bitcoin, a blockchain revela-se uma inovação promissora para os mercados financeiros e de capitais. Uma das principais virtudes dessa tecnologia é o seu funcionamento descentralizado. Todos os dados transacionados por blockchain são distribuídos para milhares de pessoas na internet, formando uma espécie de livre-razão compartilhada — na prática, isso torna quase impossível uma ocorrência de fraude, uma vez que um dado falseado em um ponto logo seria reconhecido como adulterado por algum dos integrantes da rede. Sempre atentos a formas de aumentar a segurança de suas operações, os bancos foram um dos primeiros agentes do mercado a se interessar pela tecnologia. Atualmente, corretoras e bolsas de valores também estudam como tirar proveito da inovação, com o intuito de reduzir custos e diminuir o tempo de compensação de ativos. Como estão evoluindo os testes com essa tecnologia nos mercados financeiros e de capitais? Quais desafios bancos e demais instituições têm enfrentado na implementação da plataforma? Qual a visão do Banco Central sobre essa inovação? As oportunidades compensam os riscos? Essas e outras questões foram debatidas no Grupo de Discussão Inovação e Tecnologia.

Participantes:

Carlos Gamboa, sócio da Fisher Venture Builder
Igor Freitas, superintendente de T.I do Itaú-Unibanco
Fabio Silva, CEO da Latoex
Percival Lucena, blockchain research scientist da IBM
Suzi Hong Tiba, sócia do BSH Law
Yoshimiti Matsusaki, presidente da Finnet

Conteúdo exclusivo para associados

Ingresse para o Clube de Conhecimento e tenha acesso a esse áudio e outras vantagens.