Preparativos para uma fusão ou aquisição

Empresas em busca de expansão acelerada encontram em transações de fusões e aquisições uma alternativa para superar as limitações impostas pelo crescimento orgânico. Da mesma forma, investidores de private equity buscam empresas para adquirir participações, desenvolver e depois vender, capturando um ganho excepcional. Quem opta por esse caminho, contudo, precisa estar preparado para longas negociações. É natural que o comprador tenha o desejo de investir em uma companhia com dados financeiros transparentes e gestão organizada e profissionalizada, mas nem sempre a empresa-alvo possui esse nível de governança. Como os empresários podem se preparar para as exigências do comprador, seja ele um fundo ou um investidor estratégico? Quais são as condições fundamentais de governança para quem está comprando? Qual a experiência de quem adaptou seus processos de governança em preparação para uma transação de M&A? Essas e outras questões foram abordadas no Grupo de Discussão Governança em Empresas Fechadas.

Participantes:

• Caito Maia, presidente da Chilli Beans
• Rodolfo Zabisky, CEO do MZ Group
• Paulo Funchal, sócio da Grant Thornton
• Dennis Herszkowicz, Vice-presidente financeiro de administração e relações com investidores da Linx
• Sidney Chameh, sócio-fundador da DGF Investimentos
• José Kobori, sócio diretor da JK Capital

Conteúdo exclusivo para associados

Ingresse para o Clube de Conhecimento e tenha acesso a esse áudio e outras vantagens.