Riscos cibernéticos no topo das organizações

O uso de ferramentas como o Google Analytics e o big data ampliaram significativamente a capacidade das empresas de inovar e criar modelos de negócios. Avanços nessas searas, entretanto, exigem das empresas uma preocupação cada vez maior com segurança cibernética e proteção de dados dos usuários, ainda mais num momento em que diversos países do mundo — incluindo o Brasil — lançam leis sobre o tema. Diante desse cenário, um papel importante dos conselhos de administração é monitorar o nível de prontidão da empresa em relação aos riscos cibernéticos. Os boards das companhias abertas brasileiras estão preparados para esse desafio? Qual o grau de conhecimento que um conselheiro de administração deve ter sobre riscos cibernéticos? Quanto esse assunto é uma prioridade nas reuniões dos conselhos? Quais perguntas os conselheiros devem fazer para determinar se os controles e processos destinados a evitar violações de dados estão funcionando? Essas e outras questões foram debatidas nesse Grupo de Discussão.

Participantes:

Edgar D’Andrea, sócio da PwC;
Fabio Ferreira Kujawski, sócio do Mattos Filho Advogados;
Márcio Nunes, diretor geral de certificação digital e CIO da Valid;
Marta Helena Schuh, Cyber Specialist na JLT Specialty Brasil.

Conteúdo exclusivo para associados

Ingresse para o Clube de Conhecimento e tenha acesso a esse áudio e outras vantagens.