Startups bilionárias

Em janeiro, a 99 (antes chamada 99taxis) anunciou ter sido alvo de uma nova rodada de investimentos liderada pela chinesa DiDi Chuxing. O valor da transação não foi divulgado, mas o mercado especula que o aporte tenha sido de R$ 320 milhões. O negócio exemplifica o atual cenário das startups brasileiras: nossas empresas voltaram não apenas a atrair a atenção de importantes investidores, como viraram destino de cifras cada vez mais robustas. No mercado internacional, movimento semelhante criou as empresas-unicórnio — denominação dada àquelas que atingem valor de mercado de US$ 1 bilhão em poucos anos. Quais são as características das startups que entraram na mira dos gestores de recursos? Estamos diante de uma safra capaz de atrair aportes cada vez maiores? O que esses investidores esperam das startups brasileiras? Questões como essas foram exploradas no Grupo de Discussão de Venture Capital e Empreendedorismo.

Participantes:

- Dan Faccio, diretor da Qualcomm Ventures
- Edson Rigonatti, sócio da Astella Investimentos
- João Pedro Resende, CEO da Hotmart
- Matheus Moraes, diretor da 99
- Rodrigo Borges, sócio da Domo Invest
- Rodrigo Menezes, sócio do Derraik & Menezes Advogados

Conteúdo exclusivo para associados

Ingresse para o Clube de Conhecimento e tenha acesso a esse áudio e outras vantagens.